​​​​​​​​A Agenda Tecnológica Setorial (ATS) é um exercício de prospecção que visa identificar tecnologias relevantes para a competitividade de segmentos-chave da ​indústria brasileira, no horizonte de até 15 anos, a fim de subsidiar a elaboração de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento tecnológico e a promoção da inovação. O projeto é coordenado pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), com o apoio do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE).​​​​​

Orientações Gerais​​


  • Criar e fortalecer competências críticas da economia nacional
  • Promover a inovação e o desenvolvimento tecnológico​
  • Ampliar os níveis de produtividade e competitividade da indústria brasileira
  • Aumentar o adensamento produtivo e tecnológico das cadeias de valor
  • Ampliar os mercados interno e externo das empresas brasileiras
  • Garantir crescimento socialmente inclusivo e ambientalmente sustentável​​

Objetivos​ Específi​​cos

  • Criar um Núcleo de Inteligência Tecnológica para subsidiar políticas públicasIndicar prioridades para pesquisa, desenvolvimento e inovação
  • Orientar negociações de offset, joint-ventures tecnológicas, atração de centros de P&D e de investimentos, formação de talentos
  • Subsidiar a identificação de modelos de negócios para viabilizar a produção no país das tecnologias relevantes, com indicação de competências tecnológicas e produtivas
  • Manter atualizado o banco de tecnologias​

Setores e Focos​


​​​A seleção dos setores e dos focos prospectados levou em conta, prioritariamente, aqueles que apresentam maior capacidade de transformação da estrutura produtiva da indústria, poder de difusão tecnológica e de encadeamento de relações intersetoriais, além de estarem alinhados às políticas industrial e de ciência, tecnologia e inovação. São eles​:

​​​​Setores
Focos
​​1. ​​TIC​​​​​
​- Displays​​
​​2. Automotivo​
​- Motori​zação híbrida-elétrica
​​3. Química​​​​
​​- Químic​​a de renováveis​
​​4. Petróleo e Gás
​- Tecnologias subsea​
​​5. Defesa​
- Armas inteligentes
- Sensores e comando e controle​
​- Veículos balísticos e não tripulados
​​6. Bens de Capital de Energias Renováveis
​- Eólica
- Solar
- Fotovoltaica
- Tradicionais (Biomassa e PCH)
​7. Complexo Indust​rial da Saúde
​- Biofármacos (proteínas recombinantes)
- Medicina Regenerativa (terapia celular e gênica, bioengenharia tecidual)
- Nanotecnologia (medicamentos e materiais)
- Órteses e Próteses
- Equipamentos médicos para diagnóstico (por imagem e in vitro no local)
- Telemedicina

Metodologia​


O desenvolvimento do projeto ATS foi dividido em três fases distintas:
fases.png 

  • ​A primeira inclui a fase preparatória para definição do foco, escopo e da abordagem do estudo de tendência até a prospecção das tecnologias emergentes que estão em pesquisa e em desenvolvimento no mundo e no Brasil. 
  • A fase dois seleciona as tecnologias relevantes que tem potencial de difusão no País nos próximos 15 anos e que, portanto, devem ser objeto de atenção das políticas públicas e das instituições de fomento.
  • A terceira fase tem como objetivo apontar os modelos de estruturação econômica para viabilizar o desenvolvimento e a difusão das tecnologias relevantes​.
Baixe a metodologia completa do projeto​ aqui.

Para mais informações, envie um e-mail para cleila.pimenta@abdi.com.br​​ ou ligue para (61) 3962-8771.
​​​​